Eu quero uma presidente… (I want a president…)

Eu tenho visto coisas da Eileen Myles (depois que descobri sua existência via Leopoldine Core) por todo o canto da internet e descobri que o poema ‘I want a president’ da Zoe Leonard (outra descoberta, nesse caso também fotográfica) foi escrito inspirado em quando ela resolveu se candidatar para presidente do EUA.

Procurei por uma tradução em português e não encontrei nenhuma que não fosse totalmente literal e resolvi tentar traduzir o poema (apesar de estar bastante enferrujado com traduções, mas, enfim…). O resultado está aí embaixo.

Uma coisa interessante é que não encontrei uma gíria comum em nosso idioma para cliente de prostituta e fique teorizando se a gente acha isso tão natural e comum que não tem uma palavra para isso. Compare esse fato com a quantidade infindável de palavras usadas para prostitutas. Isso vale uma pesquisa mais profunda e, quem sabe, um futuro texto.


Eu quero uma presidente…

“Eu quero uma sapa para presidente. Eu quero uma pessoa

com aids para presidente e eu quero um viado para

vice presidente e eu quero alguém sem nenhum

plano de saúde e eu quero alguém que cresceu

em algum lugar onde a terra estava tão saturada

com lixo tóxico que não teve

escolha sobre ter leucemia. Eu quero uma

presidente que fez um aborto aos dezesseis e

eu quero uma candidata que não é a menos

pior e eu quero presidentes que perderam seus

último amantes para a aids, que ainda vê isso

toda vez que fecha os olhos ao se deitar paradormir,

que segurou seu amante nos braços e sabia

que ele estava morrendo. Eu quero uma presidente sem

arcondicionado, uma presidente que esperou na

fila de uma clínica, no SUS, na escritório da

assistência social, que esteve desempregada e demitida e

foi sexualmente abusada e homoagredida e deportada.

Eu quero alguém que passou a noite na

cadeia e que teve uma cruz queimada em seu quintal e

que sobreviveu ao estupro. Eu quero alguém que já amou e

se machucou, que tenha respeito por sexo, que cometeu

erros a aprendeu com eles. Eu quero uma mulher

Negra para presidente. Eu quero alguém com

dentes podres e atitude, alguém que já

comeu aquela nojenta comida de hospital, que se

traveste e que se drogou e fez

terapia. Eu quero alguém que tenha cometido

desobediência civil. E quero saber porque isso

não é possível. Quero saber porque nós começamos

aprender em algum lugar no passado que um presidente

é sempre um palhaço: sempre um cliente e nunca

uma puta. Sempre um chefe e nunca um trabalhador,

sempre um mentiroso, sempre um ladrão e nunca pego.

Eu quero uma presidente… ― Zoe Leonard (tradução Marco Domingues)


Cópia do poema original e uma transcrição feita por mim, para comparação:

“I want a dyke for president. I want a person
with AIDS for president and I want a fag for
vice president and I want someone with no
health insurance and I want someone who grew
up in a place where the earth is so saturated
with toxic waste that they didn’t have a
choice about getting leukemia. I want a
president that had an abortion at sixteen and
I want a candidate who isn’t the lesser of two
evils and I want a president who lost their
last lover to AIDS, who still sees that in
their eyes every time they lay down torest,
who held their lover in their arms and knew
they were dying. I want a president with no
airconditioning, a president who has stood on line
at the clinic, at the DMV, at the welfare
office, and has been unemployed and laid off and
sexually harassed and gaybashed and deported.
I want someone who has spent the night in the tombs
and had a cross burned on their lawn and
survived rape. I want someone who has been in
love and been hurt, who respects sex, who has
made mistakes and learned from them. I want a
Black woman for president. I want someone with
bad teeth and an attitude, someone who has
eaten that nasty hospital food, someone who
crossdresses and has done drugs and been in
therapy. I want someone who has committed
civil disobedience. And I want to know why this
isn’t possible. I want to know why we started
learning somewhere down the line that a president
is always a clown: always a john and never
a hooker. Always a boss and never a work,
always a liar, always a thief, and never caught.”
I want a president… ― Zoe Leonard

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s